18/08/2020 às 08h10min - Atualizada em 18/08/2020 às 08h10min

Os mercados do boi e da vaca gorda em MT apresentaram altas significativas na semana passada

O boi fechou com preço médio de R$ 199,48/@ e a vaca, com R$ 188,13/@. o bezerro de ano fechou na média de R$ 1.875,81/cab.

Redação com assessoria
IMEA MT
-
Em julho, MT originou 507,26 mil cabeças de bovinos para abate (Indea-MT), acréscimo de 7,68% no comparativo mensal, mas queda de 4,84% em relação a julho de 2019.

Assim, este incremento pode estar mais atrelado ao maior número de dias úteis de jul/20 do que de fato à maior oferta.

Os abates mais expressivos foram de machos, com alta de 16,48% em relação a jun/20, totalizando 309,17 mil cabeças abatidas. As regiões de destaque foram a médio-norte, com um aumento de 17,45%, a região oeste, com 15,63%, e a região noroeste, com 8,90%.

Em meio à seca, as duas primeiras se destacam por serem as que contêm a maior quantidade de gado confinado e a terceira, por ser uma região típica de novilhas, onde está sendo observada a maior prática de semiconfinamento delas.

O abate de fêmeas, por sua vez, apresentou recuo mensal de 3,67%, puxado pela região norte, com queda de 2,52% no período, o que justifica, inclusive, o atual menor volume de negócios desta categoria.

• No comparativo semanal, os mercados do boi e da vaca gorda apresentaram altas significativas, com variações de 1,86% e 2,15%, respectivamente. O boi fechou a semana passada com preço médio de R$ 199,48/@ e a vaca, com R$ 188,13/@.

• Com o avanço da arroba do boi, produtores começaram a buscar animais mais jovens para o cocho. Assim, diante da baixa oferta de reposição, o bezerro de ano fechou na média de R$ 1.875,81/cab., alta semanal de 0,66%.

• A média das escalas de abate permaneceu estável no comparativo semanal, continuando no patamar de 6,60 dias.

• Devido ao mercado firme e bom ritmo das exportações em ambas as praças, o diferencial de base MT-SP estreitou cerca de 1,29 p.p. ante a semana passada, fechando em -13,64%. 

GANHOS PRODUTIVOS:

O investimento na nutrição animal é um dos fatores que têm gerado bons resultados produtivos em MT, a exemplo da redução na idade de abate dos bovinos. Ao lado, é apresentada a proporção da idade destes animais e fica evidente que a quantidade de abate dos bovinos acima de 36 meses tem diminuído ao longo dos anos, uma vez que os mais jovens estão aumentando a sua participação. Em 2019, a participação dos animais acima de 36 m caiu 4 p.p, ficando em 31% e mantendo esse valor em 2020. Já os animais entre 24-36 m, no último ano, representaram 50% e os de menos de 24 m, 19%, aumento anual de 2 p.p. cada. Em 2020, a faixa de 24-36 m registrou pequeno incremento, mas está atrelado ao momento da retenção de fêmeas neste ano, que foi diferente em 2019. De qualquer modo, estes indicadores demonstram que o estado tem conseguido produzir carne cada vez mais rápido, de qualidade – uma vez que de animais jovens é mais macia - e sem a necessidade de incrementos de área.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se você é produtor rural, qual a sua principal atividade agrícola?

11.3%
5.2%
8.5%
3.8%
8.5%
31.9%
6.6%
10.8%
3.8%
2.8%
4.2%
2.8%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp