11/04/2022 às 11h50min - Atualizada em 11/04/2022 às 11h50min

Suinocultores paranaenses pedem socorro e realizarão protesto nesta quarta-feira no centro de Curitiba

A iniciativa é da Associação Paranaense de Suinocultores em conjunto com suas regionais afiliadas, Suinosul e Assuinoeste, contará com a distribuição gratuita de cortes de carne suína à população

Assessoria
Associação Paranaense dos Suinocultores
-

Para destacar a qualidade da carne suína como uma proteína saborosa e saudável e ao mesmo tempo evidenciar à população paranaense e brasileira as graves dificuldades pelas quais passam os criadores de suínos, uma mobilização será realizada nesta quarta-feira (13), a partir das 09 horas, na “Boca Maldita”, centro de Curitiba (PR).



A iniciativa é da Associação Paranaense de Suinocultores em conjunto com suas regionais afiliadas, Suinosul e Assuinoeste, contará com a distribuição gratuita de cortes de carne suína à população, assim como lanches produzidos à base de carne suína.


 

Durante o evento, as entidades representativas da classe divulgarão inúmeras reivindicações com o objetivo de salvaguardar as atividades dos suinocultores e milhares de empregos gerados pela cadeia produtiva suinícola.

 

Um quadro de altos custos de produção e baixos preços de comercialização do suíno vivo colocam em extrema dificuldade os produtores de suínos em todo o Brasil.

 

Isso ocorre após dez anos seguidos consecutivos de crescimento da atividade e, com o ambiente desfavorável, produtores estão deixando a atividade, prevendo-se uma queda na produção de animais.

 

No Paraná, segundo maior produtor nacional de suínos, milhares de produtores estão envolvidos na produção comercial intensiva, produzindo carne de alta qualidade e com total sanidade animal, mas a suinocultura se encontra em gravíssima crise.

 


Vivo a realidade do dia a dia da granja", diz Jacir Dariva - Jornal de  Beltrão

Vivo a realidade do dia a dia da granja", diz Jacir Dariva - Jornal de Beltrão


Foto: Jacir José Dariva - presidente da APS 
 



Presidente da Associação Paranaense de Suinocultores, Jacir José Dariva: “Estamos numa fase em que todos os setores ligados na suinocultura estão apreensivos e sem ver alternativas”.
 

 

O presidente da APS, Jacir José Dariva, ressalta que “milhares de empregos dependem diretamente dos resultados da suinocultura comercial, mas os produtores estão à beira do caos, aumentando diariamente seu endividamento e muitos até já desistiram da atividade, deixando inativas granjas que demandaram investimentos significativos para a sua estruturação e eliminando a oferta de mão de obra no campo”.

 

Segundo ele, nesse sentido, as entidades representativas coordenam ações para destacar às autoridades e à opinião pública em geral, a grave crise do setor. Com isso, os produtores paranaenses se unem aos criadores dos demais estados produtores de suínos do Brasil que também chamam a atenção para a gravidade da situação. Manifestações já foram realizadas em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul.

 

Reivindicações
 

Entre outras ações, as entidades representativas dos produtores conclamam ao povo paranaense e brasileiro que consuma mais carne suína em suas refeições, e que se informe mais a respeito da carne suína e de seus benefícios à saúde. Orientam ainda que a população compre carne suína das agroindústrias locais.

 

“Em outra frente com vistas a amenizar a crise do setor, estamos orientando os produtores à redução dos plantéis e as agroindústrias para que não aumentem a produção, com vistas a ajudar no tocante ao equilíbrio do mercado.”, salienta Jacir Dariva.

 

As reivindicações aos governos estadual e federal incluem a sugestão para a aquisição de carne suína para os programas sociais e educacionais, retirada temporária de tributos e repactuação das dívidas dos suinocultores independentes. Outra medida importante seria a manutenção de estoque regulador e comercialização de milho para pequenos produtores independentes com subsídios governamentais.
 

Confira o manifesto
 

Aos consumidores:

Que consumam mais carne suína em suas refeições;
 

Que se informem mais a respeito da carne suína e de seus benefícios à saúde;
 

Que comprem carne suína das agroindústrias locais.
 

Às agroindústrias e aos próprios produtores:
 

Que reduzam o plantel em pelo menos 20%;
 

Que não haja, em hipótese alguma, aumento do plantel, independentemente da condição do suinocultor (independente, cooperado ou integrado).
 

Ao Governo estadual:
 

Que adquira carne suína para os programas estaduais (sociais, merenda escolar, presídios);
 

Que retire os tributos incidentes sobre a carne suína por pelo menos 90 dias.

 

Ao Governo Federal:
 

Que repactue as dívidas dos suinocultores independentes;
 

Que adquira carne suína para fornecer nos programas sociais federais, ajudando a ajustar o estoque interno;
 

Que mantenha estoque regulador e promova a comercialização de milho para pequenos produtores independentes com subsídios governamentais.



LEIA TAMBÉM:



Suinocultura: preço do suíno vivo chega a R$6,07/kg em MG e R$5,39/kg no PR




Custo de produção dos suínos tem alta de 6,78%





Suinocultura: Com baixo preço da carne e alta no preço do milho a relação de troca já é a pior da história


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Disqus exige que voce se registre seu site. Voce pode fazer isso a partir de Registre-se
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp