07/04/2022 às 10h11min - Atualizada em 07/04/2022 às 10h11min

Suíno: preço do animal negociado em SP e MT tem alta de aproximadamente 11% em março

Abril iniciou com leve recuo no preço negociado, MG teve queda de 3,66% no preço do suíno vivo

Redação com assessoria
CEPEA/Esalq
-
Em março, os valores médios mensais do suíno vivo e da carne superaram os de fevereiro, de acordo com dados do Cepea. Esse cenário foi observado apesar das baixas registradas na segunda metade do período.



Dentre as regiões acompanhadas pelo Cepea, as valorizações mais intensas de fevereiro para março foram registradas em Rondonópolis (MT) e em São José do Rio Preto (SP).



Na praça paulista, o animal foi negociado à média de R$ 5,94/kg em março, 10,9% acima da observada em fevereiro.



Na região mato-grossense, o valor pago ao produtor independente pelo animal teve média de R$ 4,81/kg, alta de 11,3% no mesmo comparativo.



Pesquisadores do Cepea afirmam que, no início do mês, a menor oferta de animais em peso ideal para abate e o aquecimento na procura elevaram os valores pagos por novos lotes e também pela proteína.



Já na segunda parte do mês, os preços do vivo e da carne recuaram de forma intensa, influenciados pela menor demanda doméstica.


 
CONFIRA AS COTAÇÕES 

 
 
Nesta quinta-feira, 7, segundo o Cepea, o indicador do suíno vivo em Minas Gerais está cotado a R$ 5,27 o quilo, posto no frigorífico, recuo de 3,66% com relação ao fim de março.


A praça de São paulo tem o suíno vivo cotado a R$5,37 o quilo, posto no 
frigorífico.


No Paraná está cotado em R$4,55 o quilo, a retirar na granja.


Em Santa Catarina o preço é de R$4,53 o quilo, a retirar, e no Rio Grande do Sul segue cotado a R$4,73 o quilo.







Para a carcaça suína especial o preço praticado nesta quinta-feira, 7, é de R$ 8,09 o quilo, recuo de 1,22% no mês.





 

LEIA TAMBÉM:


À beira do colapso e próximo de uma quebra na cadeia da suinocultura, produtores de MT fazem protesto e doam 3,5 toneladas de carne suína a entidades filantrópicas




Em manifestação suinocultores pedem socorro e distribuem dez toneladas de carne suína em Santa Catarina



Custo de produção dos suínos tem alta de 6,78%



Suinocultura: Com baixo preço da carne e alta no preço do milho a relação de troca já é a pior da história


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Disqus exige que voce se registre seu site. Voce pode fazer isso a partir de Registre-se
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp