24/03/2022 às 13h37min - Atualizada em 24/03/2022 às 13h37min

Piscicultor perde mais de 20 toneladas de peixes no interiror de São Paulo - Assista ao vídeo aqui!

O produtor possuia 48 tanques de criação de tilápia na represa e estima-se o que o prejuízo dele seja de 1,5 milhão de reais

Redação com assessoria
Prefeitura de Cardoso Sp e Jornal Extra
-

Na última segunda feira, dia 21, os pescadores começaram a perceber alguns peixes mortos às margens do rio Marinheiro, em Cardoso, município localizado a 68 quilômetros de Fernandópolis. Com o passar dos dias a situação se agravou ainda mais com o aumento significativo do número de peixes mortos.

 

Além do prejuízo ambiental, um piscicultor, que possuía uma grande criação de tilápias em tanques, teve um prejuízo estimado em 1 milhão e meio de reais. Estima-se que o mesmo perdeu mais de 20 toneladas por conta da mortandade dos peixes. O produtor possui 48 tanques e foi constatada a morte de 100% de toda sua produção.

 

A Prefeitura de Cardoso prestou todo o suporte necessário, disponibilizando pá carregadeira e caminhões para a remoção dos peixes para que fosse realizado o descarte em local apropriado. Por sua vez, o Departamento de Meio Ambiente coletou amostra da água para que seja realizada uma análise.

 

Como a situação ainda é desconhecida, a Prefeitura também recomenda aos pescadores do rio Marinheiro o descarte de todos os peixes capturados a partir da última segunda feira, dia 21.

 


"Considerando que não se sabe as causas dessa tragédia, a Prefeitura de Cardoso recomenda aos pescadores do Rio Marinheiro o descarte de todos os peixes capturados a partir da última segunda feira, dia 21 de março", informou a Prefeitura de Cardoso.



 

"Nossas equipes estão indo acompanhadas de técnicos da Cetesb e do escritorio regional da Defesa Agropecuáriaria (orgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo), porque há suspeita de que a mortandade possa ter sido causada por vazamento de produtos agricolas", diz a oficial.

 

Os técnicos da Cetesb vão recolher amostra de peixes mortos e da água para que sejam submetidos à análise em laboratório para tentar determinar o que pode ter causado a morte dos peixes. 




Fonte: Jorna Extra



Apuração e possíveis causas


Possivelmente o próximo passo será instaurar uma investigação, gerida pela Polícia Ambiental, afim de encontrar a causa da morte dos peixes. Normalmente a polícia cogita três possibilidades para explicar a situação.



A primeira seria a abertura das comportas de alguma usina hidrelétrica próxima ao local das mortes, a abertura pode ter levantado sedimentos e algas, prejudicando a qualidade da água e contribuído para o resultado.


A segunda, foi a utilização de algum defensivo agrícola em propriedade às margens do reservatório e que possa ter sido levado pelas chuvas até o lago.


 

A terceira, alguma intervenção no ambiente aquático, com a utilização de produtos químicos a fim de combater a propagação de algas naquele meio. A meta é coletar amostras da água e resíduos sólidos para análise, e assim tentar identificar os motivos da mortandade de peixes.


Caso surjam indícios de uma eventual ação criminosa, as informações serão encaminhadas à Delegacia de Polícia e ao Ministério Público para análise e adoção de eventuais providências.



 

LEIA TAMBÉM:
 

Conheça as 9 principais espécies de peixes para criação no Brasil


Previsão de altas temperaturas colocam em alerta produtores de peixes




Ministério da Agricultura anuncia cessão de águas da União para primeira instalação de piscicultura marinha




Piscicultura exporta 158% mais em junho e 83% no 2º trimestre


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Disqus exige que voce se registre seu site. Voce pode fazer isso a partir de Registre-se
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp