14/03/2022 às 12h04min - Atualizada em 14/03/2022 às 12h04min

Exportações de carne suína mantêm alta de 1,3% no primeiro bimestre

A receita acumulada nos dois primeiros meses deste ano chegou a US$ 308,2 milhões

Assessoria
ABPA
-

As exportações brasileiras de carne suína (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) totalizaram 146,1 mil toneladas no primeiro bimestre de 2022, informa a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). O volume é 1,3% superior ao obtido no mesmo período de 2021, quando foram embarcadas 144,2 mil toneladas.

 

A receita acumulada nos dois primeiros meses deste ano chegou a US$ 308,2 milhões, número 7,2% menor que o efetuado no mesmo período de 2021, quando foram obtidos US$ 332,2 milhões.

 

Considerando apenas o mês de fevereiro, as vendas do setor chegaram a 71,5 mil toneladas, volume 11,9% menor que as 81,1 mil toneladas exportadas no segundo mês do ano passado. O saldo em dólares dos embarques do mês totalizaram US$ 147,4 milhões, número 20,6% menor que o resultado de fevereiro de 2021, com US$ 185,7 milhões.

 

“Em um período historicamente mais contido para as exportações de carne suína, os embarques foram em linha com o esperado. Nos próximos meses, a estimativa é que os patamares de embarque aumentem, até mesmo para aliviar os altos e históricos custos de produção enfrentados pelo setor”, ressalta o presidente da ABPA, Ricardo Santin.

 

Principal destino das exportações brasileiras de carne suína, a China importou no primeiro bimestre deste ano 53 mil toneladas (-28,5%). Se consolidando entre os principais importadores, as Filipinas importaram no período 9,6 mil toneladas (+471,6%). Outros destaques foram a Argentina, com 8,1 mil toneladas (+76,6%) e Singapura, com 7,3 mil toneladas (+27,1%).

 

“Houve uma notável e esperada desaceleração nos números consolidados deste mês para o mercado chinês, uma vez que as compras para o Ano Novo chinês já haviam sido realizadas em meses anteriores. Entretanto, já há indicativos de retomada das exportações que devem refletir sobre o resultado dos próximos meses”, avalia Luís Rua, diretor de mercados da ABPA.


 

LEIA TAMBÉM:



Suinocultura: preço do suíno vivo chega a R$6,07/kg em MG e R$5,39/kg no PR




Custo de produção dos suínos tem alta de 6,78%





Suinocultura: Com baixo preço da carne e alta no preço do milho a relação de troca já é a pior da história


 

Suinocultura: Conflito entre Rússia e Ucrânia deverá encarecer ainda mais os custos de produção


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Disqus exige que voce se registre seu site. Voce pode fazer isso a partir de Registre-se
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp