10/03/2022 às 19h06min - Atualizada em 10/03/2022 às 19h06min

Suinocultura: Conflito entre Rússia e Ucrânia deverá encarecer ainda mais os custos de produção

O principal impacto será sobre os custos dos principais insumos da atividade, milho e farelo de soja, que já estão elevados, tendem a subir ainda mais.

Redação com assessoria
CEPEA/Esalq
-
O setor suinícola nacional está apreensivo com o conflito entre a Rússia e a Ucrânia. Isso porque os custos dos principais insumos da atividade, milho e farelo de soja, que já estão elevados, tendem a subir ainda mais.



A Rússia e a Ucrânia estão entre os maiores produtores mundiais de trigo e ambos têm forte relevância na oferta de excedentes para transações externas. No atual contexto, os preços internacionais do trigo dispararam, influenciando também os valores de outros grãos, como milho e soja.



Vale lembrar que muitos agentes do setor suinícola brasileiro relatam já trabalhar com margens negativas, e novos reajustes nos preços do grão devem intensificar os prejuízos.



Já no caso das exportações brasileiras de carne suína à Rússia, o conflito não deve trazer grandes impactos. Atualmente, os envios nacionais ao país russo representam apenas 5,9% dos embarques totais. Ressalta-se, contudo, que o país já teve um papel de destaque no setor suinícola nacional.



Por 16 anos, a Rússia foi o principal destino da carne suína brasileira, chegando a ser responsável por 77% das vendas nacionais em 2002, e se mantendo na liderança até 2017.



Desde 2018, porém, com a proibição da entrada do produto brasileiro no país por conta de barreiras não-tarifárias, os embarques à Rússia não representam mais grande parte das exportações nacionais, mesmo após revogadas as proibições.


 
COTAÇÕES 

 
 
Nesta quinta-feira, 10, segundo o Cepea, o indicador do suíno vivo em Minas Gerais está cotado a R$6,07 o quilo, posto no frigorífico.


A praça de São paulo tem o suíno vivo cotado a R$6,13 o quilo, posto no 
frigorífico.


No Paraná o quilo esta cotado em R$5,39 o quilo, a retirar na granja.


Em Santa Catarina o preço é de R$5,44 o quilo, a retirar, e no Rio Grande do Sul segue cotado a R$5,39 o quilo.







Para a carcaça suína especial o preço praticado no fechamento de quinta-feira, 10, foi de R$8,90 o quilo, no mês de março o produto teve alta de 2,30%.








 

LEIA TAMBÉM:



Suinocultura: preço do suíno vivo chega a R$6,07/kg em MG e R$5,39/kg no PR




Custo de produção dos suínos tem alta de 6,78%





Suinocultura: Com baixo preço da carne e alta no preço do milho a relação de troca já é a pior da história





Suinocultores de Santa Catarina e Rio Grande do Sul tem prejuízo de R$300,00 por animal vendido





Suinocultores de Mato Grosso tem prejuízo de até R$ 180 por animal vendido


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Disqus exige que voce se registre seu site. Voce pode fazer isso a partir de Registre-se
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp