05/03/2022 às 11h59min - Atualizada em 05/03/2022 às 11h59min

Expocafé 2022 contará com programação presencial e virtual

Após duas edições totalmente on-line, evento volta a receber o público no Campo Experimental da Epamig, em Três Pontas

Mariana de Assis
Epamig
-

Os preparativos para a 25ª Expocafé já começaram. Após duas edições totalmente virtuais, em função das restrições necessárias ao controle da pandemia, o evento voltará a contar com atividades presenciais, a serem realizadas no Campo Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), em Três Pontas, no período de 25 a 27 de maio.

 

Além de programação técnica diversificada, o evento contará com a tradicional exposição de máquinas e insumos. A Epamig, realizadora da feira, já deu início à comercialização dos estandes e, até o momento, cerca noventa empresas já confirmaram a participação. As negociações continuam e os interessados em expor podem entrar em contato pelo e-mail: joao.prado@epamig.br.

 

A Expocafé 2022 terá ainda programação virtual. Entre os dias 16 e 20 de maio, acontece o Encontro Técnico, composto por palestras on-line e conteúdos especiais. Os expositores da versão presencial também terão estandes virtuais para a apresentação de produtos e serviços. "Optamos por uma edição expandida, na qual as programações on-line e presencial são independentes. Ou seja, para as informações técnicas, o público pode optar por uma das modalidades ou por ambas, uma vez que os conteúdos são diferentes. Já o acesso às novidades em equipamentos e insumos ofertadas por nossos expositores, estará disponível nos dois formatos", destaca o coordenador geral da Expocafé, Clenderson Corradi.

 

No dia 24 de maio, também de forma presencial, acontece o 11º Simpósio de Mecanização da Lavoura Cafeeira. O evento, destinado a participantes previamente inscritos, antecede a abertura da feira ao público. Os temas abordados e o cronograma de inscrições serão divulgados em breve.
 

Novidades na programação
 

O coordenador técnico da Expocafé, César Botelho, acredita que a oportunidade de interação entre os diversos elos da cadeia produtiva é um dos fatores mais aguardados neste retorno da programação presencial. "Eu penso que o público em geral, produtores e demais envolvidos estão ansiosos por essa possibilidade de conversar, de trocar experiências. No caso da Expocafé, além da parte técnica, tem também a questão da exposição, de poder ver as máquinas e equipamentos, saber quais os avanços e novidades. A possibilidade de negociar com o expositor é algo que influencia na decisão da compra".

 

Para estimular essa interação, a Expocafé 2022 contará com um novo espaço. Trata-se do Pavilhão Aroma e Sabores, no qual os visitantes terão a oportunidade de degustar bons cafés e conversar sobre cafés. "Há muito, nós da área técnica e da coordenação do evento, projetávamos ter na Expocafé um espaço com foco maior na bebida, no barismo, no consumo. A ideia inicial é que sejam, pelo menos três espaços, neste pavilhão, focados nas cultivares de café (cafés varietais, sabores), nos processos de pós-colheita (fermentação, uso de leveduras, etc), e nos modos de preparo", explica César.

 

De acordo com o coordenador, o pavilhão vai reunir cafeicultores, baristas, cafeterias e apreciadores da bebida. "Queremos trazer produtores e associações para compartilharem suas experiências e apresentarem seus cafés. Seria isso, um espaço para beber um excelente café, conhecer um pouco mais sobre os processos de pós-colheita e modos de extração, e falar sobre a bebida. Um lugar mais calmo, um pouco isolado da movimentação da feira, para conversar e também descansar", finaliza.

 

As novidades da programação da Expocafé 2022 podem ser acompanhadas pelo site: www.expocafeoficial.com.br.




 

LEIA TAMBÉM:



Café arábica chega a R$1.555,00 a saca e registra novo recorde de preço, robusta acompanha alta em fevereiro




Arábica e robusta tem leve alta neste início de fevereiro





Estados Unidos lideram importações dos Cafés do Brasil com a compra de 7,78 milhões de sacas





Projeto do Mapa, IICA e CNC quer remunerar o cafeicultor que preservar nascentes e córregos na propriedade




Café: Volume de produção da próxima safra gera divergências entre setor produtivo e Conab


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Disqus exige que voce se registre seu site. Voce pode fazer isso a partir de Registre-se
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp