24/02/2022 às 09h51min - Atualizada em 24/02/2022 às 09h51min

Casal de agricultores abrem Empório e Café Colonial e oferecem comida com memória e uma experiência do mundo rural

A Casa di Dai oferece bolos, doces e bolachas decoradas que remetem à comida de vó, preparada naquele saudoso sítio no Vale Europeu, região catarinense colonizada por imigrantes alemães e italianos.

Gisele Dias - Epagri
Epagri SC
-
Bolos, doces e bolachas decoradas que remetem à comida de vó, preparada naquele saudoso sítio no Vale Europeu, região catarinense colonizada por imigrantes alemães e italianos.


São assim os produtos ofertados pelo casal de agricultores Daiane Formagi Raphaeli e Marcelo Raphaeli na Casa di Dai, nome dado ao café colonial e ao empório instalados lado a lado no município de Ascurra, no Vale do Itajaí. 


As receitas herdadas da família receberam um toque original de Daiane e são servidas nos dois espaços,  inaugurados em setembro de 2021,  na comunidade rural de Saxônia.


 

A proposta de Daiane, que é a responsável pela produção e mentora do empreendimento, é oferecer comida com memória e uma experiência do mundo rural a todos que passam por lá. Essa experiência já começa na arquitetura do empório, com estilo enxaimel, que é uma técnica de construção baseada na montagem de paredes com hastes de madeira encaixadas entre si, herdada da Europa medieval.



Os móveis também são antiguidades: os armários do café eram da avó de Daiane, Maria dos Santos Formagi, com quem a chef aprendeu muitas receitas. “A proposta é de um café colonial com ar de fazenda. Queremos que nosso visitante se sinta acolhido como na casa da mãe”, diz ela.






Foto: Muitas receitas Daiane herdou da avó Maria - Epagri/SC




E o projeto não para por aí: o pequeno lago no entorno em breve terá peixes que poderão ser alimentados pelos visitantes; o bosque da propriedade logo terá estrutura para abrigar piqueniques com cestas montadas pela Casa di Dai;  a área vai abrigar pequenos animais para serem tratados pelos turistas; a horta de onde Daiane retira os temperos para suas preparações terá hortaliças especialmente para serem colhidas pelos consumidores. 

 

“Temos projetos de melhorias para até 2030. Neles também está incluída a construção de uma pousada, onde as pessoas possam acordar com o cheiro do café do sítio e com o barulho dos animais”, diz a empreendedora.


A história da Casa di Dai




Foto: Arquitetura do Empório, com estilo enxaimel, proporciona uma viagem no tempo - Epagri/SC


 

Daiane trabalha com panificação e confeitaria desde 2017, quando começou na cozinha da própria casa. Segundo a extensionista da Epagri Tatiane Carine da Silva, os produtos são de altíssima qualidade, feitos com matéria-prima selecionada e sempre procurando manter a forma artesanal de elaboração.

 

“Como toda a comercialização era feita na propriedade, Daiane e Marcelo sentiram a necessidade de ter um ponto adequado para venda, daí a ideia do empório. A proposta é ter no local produção própria e de agroindústrias da região, como sucos, geleias, mel, melado, cachaça, salame, queijo, etc….  Já o café abre aos finais de semana para o público e em dias de semana para eventos fechados”, diz a extensionista.



O café colonial tem capacidade para atender até 600 pessoas por dia. Além desses dois segmentos, Daiane ainda atua em um terceiro: com encomendas, que se intensificam em datas comemorativas, a exemplo da Páscoa e do Natal.


A Casa di Dai é um sonho de Daiane que está sendo realizado. Para chegar até aqui, o casal procurou a Epagri em 2019 para ter acesso a financiamentos. De lá para cá foram três: Pronaf Mais Alimentos (R$165 mil), Pronaf Agroindústria (R$165 mil) e Programa Fomento Agro SC (R$50 mil), além de investimentos da família. Com tudo isso, Marcelo  deixou o emprego na cidade para embarcar no projeto da família.





Foto: Empreendimentos ficam na comunidade rural de Saxônia. Na foto o café colonial e o empório estão à esquerda - Epagri/SC


 

Além do acesso às políticas públicas, Tatiane assessorou os agricultores para participar da chamada pública do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). Com isso, a Cada di Dai também entrega biscoitos e bolos para o Instituto Federal Catarinense em Blumenau. A extensionista relata ainda que a Epagri, por meio do engenheiro de alimentos Henrique Rett, de Joinville,  também auxiliou a família com assistência técnica para a legalização da agroindústria, deu recomendações para a definição do layout da unidade produtiva, bem como deu orientações sobre rotulagem e sugestões de produtos.


“A produção de Daiane rege o princípio do produto caseiro, feito pela vovó, da forma mais artesanal possível, assim como parte dos insumos, como frutas, algumas verduras e temperos, que são produzidas na propriedade pela família. A Casa di Dai tem o preceito do produto natural, fresco e sem o uso de agroquímicos. E o controle de qualidade é feito por um degustador exigente: o filho Enzo, de 5 anos. O produto final é de fato de um sabor extraordinário”, diz a extensionsita.

 



Foto: O marido Marcelo  deixou o emprego na cidade para embarcar no projeto da família. O pequeno Enzo, de 5 anos, é o degustador oficial - Epagri/SC

 

A família se preocupou em utilizar materiais de demolição para a construção do empreendimento, reaproveitando madeira de uma casa de 100 anos, tijolos e outros itens que seriam descartados. Eles também conservam as florestas em suas propriedades, pois utilizam apenas 3 % dos mais de 30 ha que possuem. “O lugar é belíssimo, aconchegante e cercado pela natureza”, complementa Tatiane.


O empreendimento começou a funcionar em plena pandemia e vem conseguindo se manter, mas o foco está em atrair o turista que vem visitar o Vale Europeu e não apenas os moradores locais. Para atingir esse público, a Casa di Dai tem site e perfil nas redes sociais. Daiane afirma que a divulgação do empreendimento nessas mídias tem atraído cada vez mais visitantes, como foi o caso deste último verão. “Estamos viabilizando parcerias com agências de turismo do Vale Europeu para incluir nosso empreendimento no roteiro de visitas”, conta ela.





Foto: O empório comercializa produtos próprios e de agroindústrias da região, como sucos, geleias, mel, melado, cachaça, salame, queijo, etc - Epagri/SC

 

A Casa di Dai está localizada à rua Ribeirão São Paulo, 4965, Comunidade Saxônia, Ascurra, SC. Acompanhe o empreendimento nas redes sociais:

Site: https://casadidai.com.br/

Instagram: @acasadidai

Facebook: /casadidai



 


LEIA TAMBÉM:



Paraná lança Rota do Queijo, que vai ampliar possibilidades de negócios para agricultura familiar




São Roque, destino perfeito para as férias de verão!




Turismo rural e agroindústria familiar encaminham sucessão rural




Conheça a cidade de Nova Nazaré, uma nova fronteira para expansão do agronegócio
 

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Disqus exige que voce se registre seu site. Voce pode fazer isso a partir de Registre-se
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp