16/02/2022 às 08h44min - Atualizada em 16/02/2022 às 08h44min

Período de chuva é ideal para o plantio do capiaçu, confira o passo a passo para implantar a capineira.

Em 2021, muitos produtores tiveram dificuldade devido à seca prolongada e o aumento no custo para alimentar a criação

Redação com Assessoria
Empaer MT
-

O produtor de leite de Lambari D´Oeste (a 339 km de Cuiabá), Valdemir Merlin Jovano, encerra nesta semana o plantio das mudas de capiaçu que recebeu da Empaer em parceria com o Consórcio Complexo Nascentes do Pantanal. As mudas foram produzidas nos viveiros de Cáceres e São José dos Quatro Marcos para atender produtores de 14 municípios da região.


 

Valdemir assim como outros agricultores, quer aproveitar o período de chuva para garantir um maior rendimento da silagem sem impactar na qualidade do leite. “O ano passado tive muita dificuldade no período da seca que foi prolongada. Tenho 35 vacas que precisam estar bem alimentadas e dispostas, caso contrário, à produção cai e compromete o trabalho do ano todo”.


 

De acordo com o produtor, com a orientação da equipe da Empaer, o capiaçu surgiu como uma opção resistente, de maior rendimento e que permite a produção de leite a custos menores, aumentando a sua margem de lucro. “Tenho um hectare de área plantada e pretendo aumentar um pouco mais, além de investir e novas criações”.


 

O técnico da Empaer, Tarcísio Wunsch Júnior, explica que há três meses a equipe já vem realizando a entrega das mudas aos  produtores da região que estão concluindo o plantio. Ele frisa que o produtor Valdemir precisou conscientizar-se estar gerindo um negócio, sendo estimulado da necessidade de investir para buscar lucro e, com isso, aumentar sua renda.


 

De acordo com Tarcísio, o produtor precisou entender a vantagem de ter uma capineira para fazer silagem, depois de três anos lutando com a seca prolongada e ver suas vacas produzindo pouco. “Na região, o exemplo do senhor Valdemir é o mesmo de muitos e estamos conseguindo mudar a realidade de todos que começaram a investir e acreditar na assistência técnica”.


 

O acompanhamento consiste na análise do solo, caso haja necessidade de reposição de calcário ou adubo. Logo em seguida, o preparo com os sulcos. “Foram três anos de vacas magras. A procura pelo capiaçu e pela assistência da Empaer nesse período aumentou consideravelmente. Estamos conseguindo acompanhar alguns produtores que acreditam na implantação de tecnologias que já foram testadas e validadas”, conclui.




Foto: Plantio de capiaçu - Equipe da Empaer  - Região Oeste de MT



A receita de sucesso de como implantar a capineira


Ventura afirma que receita de seu sucesso com o capiaçu, é o ponto de corte do capim, que é o grande responsável pela conversão da silagem em leite, por isso é melhor far isso entre 90 e 100 dias.


No preparo da silagem, ele adiciona 8% de fubá. Ventura explica: “A silagem de capim costuma ser mais úmida e o fubá contribui para reduzir essa umidade; além disso, o fubá entra na dieta como ‘grão úmido’, melhorando a qualidade da forragem”.


Ainda, segundo ele, deve ser usado inoculante para evitar a proliferação de bactérias e o material precisa ser muito bem compactado no silo.


Tecnologia democrática

 
 
O pesquisador da Embrapa Antonio Vander Pereira explica que o custo elevado da silagem de milho é o que a torna inacessível a muitos produtores. Por outro lado, o custo viável da Capiaçu a faz atender grandes e pequenos produtores. “Podemos dizer que acertamos em cheio com a cutivar que é, no mínimo, 30% mais produtiva do que as outras variedades e a chave do seu sucesso é a versatilidade”, afirma Pereira.


Confira o passo a passo para cultivar o capim


#1 - Escolha a cultivar correta



 
A maioria dos cultivares de capim elefante pode ser utilizada para ensilar; contudo, os de porte anão foram desenvolvidos para pastejo e seu uso não é recomendado para silagem.


O produtor deve utilizar cultivares de elevada produção de massa, como o  Capiaçu, desenvolvido pela Embrapa especificamente para produção de silagem.


 
Cultivar de capim-elefante apresenta produtividade 30% maior

Cultivar de capim-elefante apresenta produtividade 30% maior

 

Cultivar de capim-elefante apresenta produtividade 30% maior


Foto: Embrapa


#2 - Implantação da capineira


O plantio do capim elefante deve ser realizado no início da estação chuvosa. O solo deve ser bem preparado com aração + gradagem, seguido por sulcamento.


Os colmos de capim elefante, colhidos de touceiras adultas e maduras, são colocadas em sulcos de 15 a 20cm de profundidade, no sistema “pé com ponta”.


Para obter uma melhor brotação os colmos devem ser partidos (cortados), no próprio sulco, em pedaços com cerca de 70cm ou cinco gemas. O espaçamento entre sulcos é de 0,8 a 1,2 m.


 
Produção de mudas de capiaçú

Produção de mudas de capiaçú

 

Produção de mudas de capiaçú


Foto: Embrapa


#3 - Adubação da capineira


O capim elefante é planta exigente em fertilidade. Antes do plantio deve ser feita análise do solo. A calagem deve ser realizada antes da gradagem da área, visando incorporar o calcário. No plantio, adubar apenas com fertilizante fosfatado.


As adubações nitrogenadas e potássicas são feitas em cobertura, quando as plantas atingirem cerca de 50cm. Após cada corte, é necessária nova adubação de cobertura. 





#4 - Colheita da forragem


A colheita da capineira para ensilar pode ser manual ou mecânica. É feita quando a planta está madura, para obter relação adequada entre a biomassa e a produção de matéria seca (alto teor de umidade é prejudicial à silagem).


Na colheita mecânica, deve-se ter cuidado para que o pneu do trator não passe sobre as linhas, o que prejudicaria a rebrota da touceira. A forragem deve ser picada em partículas pequenas (2 a 3 cm)



 
Corte do capiaçú - capim elefante

Corte do capiaçú - capim elefante

 

Corte do capiaçú - capim elefante




#5 - Tipo do silo e localização



Os tipos de silo mais usados são superfície e trincheira. No silo superfície, a vantagem é a construção fácil e rápida, em qualquer ponto da propriedade; contudo, a compactação é mais difícil e apresenta maiores perdas.


No silo trincheira, que é construído num barranco, a compactação fica melhor e ocorrem menos perdas no processo de ensilagem. Para otimizar o processo, tanto de produção quanto de uso de silagem, recomenda-se que o silo seja construído próximo ao local de alimentação dos animais.




 
Silagem de capim elefante

Silagem de capim elefante

 

Silagem de capim elefante


Foto: Embrapa


#6 - Espalhamento e compactação


Cada vez que a forragem picada for descarregada no silo, a mesma deve ser espalhada em camadas de até 25 cm e, depois, compactada para expulsar o ar que fica entre as partículas.


Desta forma, a fermentação será de melhor qualidade. A compactação do material deve ser feita com um trator, reservado para esta finalidade.




 
Foto: Embrapa


#7 - Uso de inoculantes microbianos



Os inoculantes microbianos são muito utilizados na produção de silagem de capim. O produto é diluído em água e aplicado com pulverizador, conforme as camadas de forragem picada são colocadas no interior do silo.


Espera-se que as bactérias produtoras de ácido lático, contidas no inoculante, favoreçam a fermentação e melhorem a qualidade da silagem de capim. 


 
Utilização de Aditivos em Silagem

Utilização de Aditivos em Silagem

 

Utilização de Aditivos em Silagem

Silagem de capim elefante na pecuária

Foto: Embrapa


#8 - Vedação do silo


A vedação é importante para evitar a entrada de ar e água no silo. O material mais usado é lona de polietileno de dupla face, com tratamento contra ultravioleta e o mínimo de 200 micras de espessura.


A lona deve ser estendida sobre a silagem, ultrapassando aproximadamente 1 m nas extremidades do silo. Em seguida, as bordas da lona são presas com terra ou sacos de areia.

 
Silagem de capim elefante

Silagem de capim elefante

 

Silagem de capim elefante


Foto: Paperplast


#9 - Abertura do silo


Ocorre aos 40-60 dias após o fechamento e vedação do silo. Neste momento, a silagem está estabilizada e pode ser usada para alimentação do rebanho. Quando abrir o silo, observe a silagem com atenção, para detectar partes estragadas ou mofadas.


Estas devem ser retiradas e descartadas, antes do fornecimento da silagem aos animais. A fatia removida diariamente deve ter espessura de, no mínimo, 20 cm.




#10 - Uso da silagem


Para o uso correto da silagem de capim, o produtor precisa de alguns cuidados:


- separação do rebanho em categorias animais (vacas em lactação, de alta, média e baixa produção; vacas secas; novilhas), pois as exigências nutricionais são diferentes;


- custo de produção de matéria seca da silagem;


- E custo do concentrado, que pode ser necessário caso a silagem de capim seja usada em substituição à silagem de milho (que tem valor nutritivo mais alto).

 

 

LEIA TAMBÉM:




Silagem de trigo: desenvolvida cultivar adaptada para diminuir a dependência do milho 



 Silagem da rama da mandioca é apresentada como mais uma opção para o produtor durante estiagem




Silagem de soja na propriedade reduz custos com ração seca para gado de leite




- A silagem de aveia é uma alternativa barata, com alto teor de proteína e digestibilidade na casa de 65%




Silagem de Capim-elefante tem alta produtividade e a implantação custa muito menos que outras variedades


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Disqus exige que voce se registre seu site. Voce pode fazer isso a partir de Registre-se
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp