07/12/2021 às 11h13min - Atualizada em 07/12/2021 às 11h13min

Criação de tilápia cresce e se consolida como a principal espécie cultivada no Brasil

Produção nacional é liderada pelo Paraná, seguida de São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul

Emerson Luis Calcanhoto
Peixe BR / Famasul / Seafood / MAPA
-

Ela é a principal espécie de peixe criada por aqui, respondendo por cerca de 61% da nossa produção total, isso é muito significativo já que o Brasil produz anualmente cerca de 800 mil toneladas de peixes. 

Segundo dados do Peixe BR, em 2020 a produção nacional de tilápia foi superior a 430 mil toneladas, e esse número deve crescer 12,5% em 2021. O Brasil ocupa a 4° posição mundial.

Quando o tema é exportação, os dados apontam que temos muito campo para crescer, exportamos apenas 6 mil toneladas de tilápia em 2020, isso significa que o povo brasileiro gosta muito do peixinho e que para exportamos mais, será preciso aumentar a produção. 

Nossos principais clientes no mercado externo são em 1° lugar os Estados Unidos, em 2° lugar o Chile, em 3° a China, seguida pelo Japão em 4° lugar.

Uma das soluções encontradas para aumentar a produção veio do Mapa (Ministério da Agricultura, pecuária e abastecimento) que informou a poucos dias, estar em negociações com o Paraguai para liberaração conjunta do lago de Itaipú-PR para criação de tilápias. Se isso se confirmar, a produção do peixe no Brasil deve aumentar cerca de 40% do volume produzido. No caso do Paraguai, o volume esperado aumentará em 20 vezes a produção de peixes do nosso vizinho.

Confira no quadro o percentual representativo de cada espécies de peixes criadas no Brasil:


Dados Anúário Seafoods 2021
 



A produção naciona é liderada pelo Paraná, seguida de São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

O Paraná é o lider absoluto da produção nacional e produziu cerca de 160 mil toneladas de tilápia em 2020. A tilápia responde por 90% do total de peixes produzido no estado. Por lá as cooperativas utilizam o sistema de integração como motor de impulsão da atividade.

A produção estadual é muito importante, tanto que o governo do estado vem dinamizando o processo de licenciamento ambiental, desde 2019. Com isso a obtenção de licenças está mais ágil e desburocratizada, especialmente para tanques escavados em pequenas e médias propriedades. 

O estado de São Paulo vem registrando aumento na demanda de peixes de cultivo, o que proporcionou melhora nos preços aos produtores, de acordo com a Secretaria da Agricultura e abastecimento.

São Paulo vem promovendo ações para o fortalecimento da piscicultura, como orientação sobre a importância dos protocolos de prevenção de doenças, emissão de documentos para acesso a crédito, direcionamento de piscicultores para linhas de crédito e apoio na regularização de empreendimentos. A produção de tilápia foi de 70.500 toneladas e grande parte dessa produção é feita em tanques-rede. 

A terceira posição na produção é ocupada por Minas Gerais, e poderia estar muito melhor já que o estado é rico em hidrelétricas e tem grande mercado consumidor, mas há visão muito curta do Poder Público quanto à política para a piscicultura.

Os principais núcleos de produção do estado estão crescendo devido ao espírito empreendedor de empresários contra todas as correntes burocráticas aplicadas à atividade em Minas Gerais. Por conta desse investimento privado, a produção local aumentou 14,8% em 2020, passando para 44.300 toneladas. A tilápia dominou esse volume total, com 42.100 toneladas produzidas.


Santa Catarina está realizando importantes alterações na legislação relacionadas à piscicultura desde 2020. Uma Lei aprovada em 2018 permitiu o uso de Áreas de Preservação Permanente (APP) para a atividade, o governo estadual também investiu R$ 1,4 milhão na ampliação de pesquisas para melhoramento genético da tilápia. O objetivo é identificar linhagens mais adaptadas ao clima catarinense, em busca de melhor desempenho zootécnico para ganho de peso, conversão alimentar e rendimento de carcaça. O projeto entregou 16.200 matrizes melhoradas em 2020, relata o pesquisador Bruno Corrêa da Silva. O estado produziu 40.059 toneladas de tilápia.

Nosso principal exportador de filés para o mercado americano, o Mato Grosso do Sul tem cerca de 90% da sua produção de tilápias concentrada em 5 municípios: Aparecida do Taboado, Selvíria, Brasilândia, Mundo Novo e Itaporã.

Porém a região central de MS, que tradicional produzia peixes nativos, está migrando para produção de tilápia em viveiros escavados e deve impulsionar ainda mais a produção.

Os resultados dos investimentos já começaram a apareceram em 2020, quando a produção estadual cresceu 5,8%, chegando a 32.390 toneladas. Neste ano, o estado já abateu 16,2 milhões de tilápias, segundo a Famasul.



Foto: Seafoods Brasil

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Disqus exige que voce se registre seu site. Voce pode fazer isso a partir de Registre-se
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp