07/12/2021 às 09h51min - Atualizada em 07/12/2021 às 09h51min

Confira estas 7 dicas para que alta do diesel impacte menos no custo da produção

Com uma elevação acumulada de 65%, só em 2021, economizar tem sido a palavra de ordem no campo também

Assessoria
Pivot em Campo
-

A alta dos combustíveis no País atinge direta e indiretamente praticamente todos os setores da economia, e na agricultura, não é diferente. Segundo os produtores, o diesel, que é amplamente usado em maquinários agrícolas como tratores e colheitadeiras, está entre os principais pesos nos custos de produção. Só neste ano de 2021, o combustível acumula uma alta de 65%, segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP).

Diante desse quadro, a palavra de ordem é economizar ao máximo para que esse componente de custos impacte o menos possível. E fazer uma boa economia de diesel nessa lida diária do campo é sim possível com dicas simples. Para Jonathan Rodrigo Costa, técnico-mecânico e instrutor da Pivot Máquinas Agrícolas e Sistemas de Irrigação, a atenção no cronograma de manutenção e correta operação dos equipamentos são fundamentais para que o maquinário tenha eficiência sem desperdício de combustível.

1- Qualidade e procedência do combustível 

Ter atenção à qualidade do diesel a ser usado no maquinário é o primeiro passo para se economizar com combustíveis. Nesse sentido, a primeira dica é conferir com seu fornecedor o número de cetano do óleo, que deve ser entre 40% e 60%. “O cetano é uma fórmula química, um hidrocarboneto mais especificamente, que compõe o diesel e a proporção ideal dessa fórmula varia entre 40% e 60%, fora destas proporções, o combustível não costuma ser de boa qualidade. Um combustível de baixa qualidade é sinônimo de um motor que funciona com ineficiência e isso gera mais gasto”, explica o técnico mecânico da Pivot.

Ainda sobre a importância da qualidade do combustível, para evitar vazamentos e outro mecânicos, a dica do especialista da Pivot é ficar atento à viscosidade adequada do óleo diesel, que irá variar de acordo com o modelo e da quantidade de horas de trabalho acumulado do equipamento. “O ideal é sempre usar o óleo indicado pelo fabricante. Isso porque: tal como ocorre com os carros, as máquinas agrícolas, quando são desenvolvidas e testadas usam um determinado óleo, portanto, a eficiência prevista no manual do equipamento só será garantida se for usado o combustível com as especificações prescritas pelo fabricante”, acrescenta Jonathan Costa.


2 - Calibragem correta dos pneus






Tal como nos carros, a calibragem correta dos pneus de equipamentos como tratores agrícolas tem grande impacto na economia de combustível. “A calibragem abaixo do recomendado aumenta o espaço entre o pneu e o solo, exigindo que o motor trabalhe mais, o que eleva o consumo de combustível. Já com a calibragem acima do recomendado, o equipamento se torna mais instável nas operações, resultando em balanço e patinagem do veículo. Isso também eleva o consumo. Ou seja, além de usar o pneu adequado para cada operação, a calibragem correta é fundamental”, orienta.

3 - Manutenção em dia 

Um equipamento com sua manutenção em dia é sinônimo de mais eficiência de operação e economia de combustível. Portanto, é fundamental atentar a questões como troca de filtros regularmente, uso de lubrificantes de qualidade e peças e suplementos indicados pelo fabricante. “Assim como os carros possuem o manual do proprietário, o maquinário agrícola também vem da fábrica com o seu manual do operador e este documento traz o gráfico de manutenção de cada equipamento em específico. O intervalo de manutenção varia de máquina para máquina e segue também as horas de uso do equipamento. Com 50 horas de trabalho do motor você tem um programa específico de manutenção, para 100 horas você tem outro. Portanto, tanto o proprietário rural quanto o operador precisam ficar atentos e seguir esse gráfico de manutenção”, afirma Jonathan Costa.

4 - Fique atento à lastragem 

Erros de Lastragem diminuem o desempenho das máquinas nas operações, o que gera maior consumo de combustível. Segundo explica o especialista da Pivot, a lastragem, nada mais é do que o peso total de trabalho do equipamento, que se não estiver devidamente calibrado, também impactará significativamente no consumo de combustível.

“A lastragem se refere à correlação entre peso e potência.  Esse peso de trabalho não pode ser nem muito alto e nem muito baixo. No caso de um trator, por exemplo, que esteja leve demais ele ficará patinando, e isso resultará em menos eficiência de trabalho, mais uso do motor para execução de tarefas e consequentemente mais gastos de combustível. Mas se houver excesso de peso, isso também irá forçar mais o motor e novamente teremos mais gasto de combustível”, explica Jonathan Costa. Para a calibragem de lastragem, o especialista da Pivot explica que existem duas: uma é de forma líquida, bastando adicionar água aos pneus conforme indica o fabricante. Há também aquela feita de modo sólido, que consiste em adicionar discos de metal fixados nas rodas traseiras ou placas de metal montadas na dianteira do trator.

5 - Tecnologia faz toda a diferença 

Tratores com tecnologias embarcadas são mais econômicos. Painéis com alertas para manutenção, sistema otimizado de arrefecimento e motores com potência de turbo intercooler são algumas dessas tecnologias que sempre ajudam muito. “A CASE IH, da qual a Pivot é concessionária oficial no Brasil, é uma marca exemplo nesse quesito, uma vez que trabalha com veículos eficientes e que desperdiçam pouco, reduzindo os custos de combustível e de manutenção”, destaca Jonathan Costa.

6 - Se puder, opte pelo Plantio Direto 






O especialista da Pivot explica que um solo que não precise de muitos tratos culturais, como correção de carência de nutrientes como potássio e calcário, por exemplo, exigirá menos operações com o maquinário agrícola, possibilitando o Plantio Direto. “É importante, sempre que possível, você optar por áreas em que já tenham uma análise do solo e que esta área já tenha passado por correções, porque  você pode usar o método de plantio direto, que é mais econômico, sob o ponto de vista do consumo de combustível, já que você terá menos operações de trabalho. Já numa área de plantio nova, realmente não é possível você usar esse método, só do segundo ou terceiro ano pra frente”, esclarece Jonathan Costa.

7 - Aposte na agricultura de precisão 


Agricultura de Precisão: entenda mais sobre o assunto - TMF Fertilizantes

Agricultura de Precisão: entenda mais sobre o assunto - TMF Fertilizantes


Foto: TMF Agrícola


O objetivo da agricultura de precisão é melhorar o desempenho da produção e também do manejo agrícola. Assim, há inúmeros softwares que podem ajudar nisso, evidenciando dados que facilitam a identificação de pontos de melhoria no comportamento de operadores. Afinal, aumentar o desempenho nos trajetos das máquinas, otimizar o sistema de logística de insumos e planejar com eficiência as jornadas noturnas fazem a produtividade nas operações crescer.




 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Disqus exige que voce se registre seu site. Voce pode fazer isso a partir de Registre-se
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp