12/11/2021 às 13h29min - Atualizada em 12/11/2021 às 13h29min

Custo de produção do leite tem alta de 2,67% em outubro, deixando a margem bem apertada

Além disso houve recuo de até 4% nos preços no leite entregue em outubro e pago em novembro

Redação com assessoria
Embrapa Gado de Leite
-
Os preços dos lácteos no mercado atacadista e do leite no spot recuaram ao longo de outubro, refletindo a baixa demanda doméstica e a maior oferta de leite com a chegada das chuvas e safra. Isso acabou refletindo também nos preços pagos ao produtor de leite.

As cotações ao produtor vinham com alta consecutiva desde abril, mas não houve sustentação. O desemprego ainda elevado e uma alta na inflação também tem prejudicado o poder de compra e consumo das famílias. O preço do leite Spot registrou a queda mais acentuada, caindo cerca de R$ 0,44/litros na comparação com a primeira quinzena de setembro.





Em outubro, o preço do leite ao produtor registrou queda, após seis altas consecutivas. Para o pagamento de novembro, os Conseleites indicam recuo nas cotações, com quedas mais fortes no RS e SC. MG foi o único a indicar alta, já que o fechamento do indicador ocorreu mais cedo e não incorporou o recuo nos preços no final de outubro.

Em outubro, a inflação do custo de produção foi 2,67%, segundo o Índice de Custos de Produção de Leite – ICPLeite/Embrapa1 , calculado pela Embrapa Gado de Leite.


 


A limitação das exportações de adubos e fertilizantes imposta pela Rússia, limitou ainda mais a oferta desses insumos, disparando seus preços. Isso somado ao aumento dos combustíveis, levou o grupo Produção e compra de volumosos a apresentar a maior inflação dentre os grupos que compõem o indicador, 9,45%. Em segundo lugar, o grupo Energia e combustíveis variou 6,60%, apresentando aumento de preços de todos os seus itens.

Outros três grupos apresentaram inflações em menor intensidade. Qualidade do leite aumentou 1,56%, Sanidade, 0,51% e Alimentação concentrada, 0,30%. Os grupos Mão de obra e Reprodução não apresentaram variação e o grupo Sal mineral foi o único a apresentar deflação, variando -0,06%. O resumo dos dados encontra-se na Tabela 1.







Em dez meses, o ICPLeite/Embrapa acumulou alta de 23,20%. A variação acumulada pelo grupo Produção e compra de volumosos foi praticamente o dobro da variação do indicador. Em seguida, Sal mineral e Energia e combustível também acumularam variações superiores a do índice: 24,38% e 24,17%, respectivamente. Os dados encontram-se na Tabela 2. 







A inflação acumulada em doze meses do ICPLeite/Embrapa foi de 34,55%, voltando a subir após um mês de queda. Produção e compra de volumosos liderou este ranking, acumulando em um ano variação de 67,89%. Isso representa um aumentando em 10% em relação ao acumulado anterior. Já a variação do grupo Alimentação concentrada, cedeu 4,9% em relação ao período anterior, apresentando 43,81%. O mesmo ocorreu com o grupo Sal mineral cuja variação cedeu 3%, apresentando em outubro inflação de 24,85% contra 28,04% em setembro. Os dados encontram-se na Tabela 3. 







 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Disqus exige que voce se registre seu site. Voce pode fazer isso a partir de Registre-se
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp