28/09/2021 às 12h40min - Atualizada em 28/09/2021 às 12h40min

Pecuária de corte lucrativa exige matrizes que produzam um bezerro de boa qualidade, sadio e pesado por ano

O pecuarista precisa se atentar a todas as fases do processo: antes da vaca emprenhar, na gestação e, posteriormente, na reconcepção

Assessoria
Minerthal

-
Com as margens de lucro na pecuária apertadas pela alta no preço dos insumos, é importante que o pecuarista seja eficiente na produção de bovinos para garantir resultado financeiro positivo. Ou seja, para uma pecuária de corte lucrativa, é essencial que as matrizes produzam um bezerro por ano que seja de boa qualidade, sadio e pesado.

O que se vê, muitas vezes, é o foco dos produtores na etapa final do processo, negligenciando a matéria-prima de toda a cadeia dos procedimentos. “Quando o assunto é atividade de cria, para garantir que a vaca produza um bezerro bom e sadio por ano e o desmame bem pesado, é preciso dar atenção às fases antes da emprenha, à gestação e, posteriormente, à reconcepção”, avalia Letícia de Souza Santos, Resposável Técnica da Minerthal.

Segundo Letícia, a nutrição das matrizes leva em consideração a exigência de nutrientes ingeridos pelas vacas para suprir, primeiramente, a manutenção do corpo, crescimento, gestação, lactação, reprodução e, por fim, reserva de energia. Isso significa que, se a vaca não estiver bem nutrida, provavelmente não desempenhará atividade reprodutiva adequada.

A gestação das vacas pode ser dividida em três principais períodos: terço inicial, médio e final. Geralmente, a preocupação maior é com o terço final da gestação, pelo maior crescimento do feto. Porém, o terço inicial e médio também são muito importantes para o desenvolvimento do bezerro.

“O terço final da gestação coincide com o período seco do ano, em que há escassez de alimentos, com isso, os índices reprodutivos tendem a serem mais baixos. Nesta fase, a exigência é aumentada pelo crescimento considerável do tamanho do feto, além disso, a vaca precisa estar em boas condições ao parto, em geral agosto, setembro, outubro e novembro, para que na estação de monta, que ocorre nos meses de novembro a fevereiro, esteja em condição corporal adequada para emprenhar novamente”, recomenda a Responsável Técnica.





Estação de Monta

Em relação à estação de monta, Letícia de Souza Santos explica que é crescente a utilização desta estratégia na pecuária brasileira, e isso se deve pela valorização da inseminação artificial e do melhoramento genético do rebanho.

Segundo dados da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (ASBIA), o uso da inseminação artificial no Brasil saltou de 11% e chegou a quase 20% em 2020. No primeiro trimestre de 2021, o número de doses de sêmen comercializadas teve crescimento de 39% em relação a 2020, o que demonstra a forte tendência por aquisição de tecnologias na categoria de cria.

“A estação de monta é comumente realizada nos meses de maior disponibilidade e qualidade de forragem, de novembro a janeiro durante o período das águas. A estação de nascimentos ocorre entre agosto e outubro, durante a estação seca do ano, para favorecer o manejo sanitário dos bezerros, diminuir a incidência de doenças, reduzir mortalidade e o bom proporcionar desenvolvimento deles”, comenta Letícia.

Após a parição em agosto, setembro e outubro, a matriz precisa recuperar escore de condição corporal para estar adequado na época da estação de monta, este curto período para recuperar às vezes é insuficiente. “Por isso, é importante que a vaca não esteja magra na época de parição. Caso ocorra de parir magra, no período até a estação de monta deve ser fornecido suplemento proteico-energético para ajuda intensiva na recuperação”, recomenda.
 

Produção de bezerro do cedo

A época de nascimento do bezerro é fator importante na produção de bezerros de qualidade. Isso porque é de muito interesse que a maioria das vacas emprenhem no início da estação de monta para a obtenção dos chamados bezerros “do cedo”, entre agosto e setembro. Geralmente, os bezerros do cedo apresentam melhor desempenho comparados aos bezerros do final da estação de nascimentos.

As vacas que conseguem emprenhar no início da estação de monta passam o terço médio da gestação quando ainda há disponibilidade de forragem, na transição águas-seca. Desta forma, há formação correta de fibras musculares ocasionada pela disponibilidade de nutrientes.

As vacas que emprenharam no final da estação de monta, passam pelo terço médio de gestação durante a seca. “A vaca gera um bezerro de pior qualidade devido à restrição de nutrientes. Além disso, os bezerros nascerão nas águas, período em que o manejo sanitário é dificultado e há maior risco de mortalidade de bezerros”, explica a Responsável Técnica da Minerthal.
 

Programação fetal

A qualidade do bezerro produzido e, posteriormente, do boi que será abatido pode ser influenciada pela nutrição da matriz no terço médio e final da gestação e pela nutrição do bezerro nos primeiros meses de vida. Isso porque a produção de células de gordura (adipócitos) se dá nestes períodos, e estas células aumentam de tamanho durante a vida para formar a gordura intramuscular (gordura de marmoreio).

“Desta forma, percebemos a importância da correta nutrição da matriz, para que o bezerro tenha oportunidade de apresentar um melhor acabamento de carcaça se comparado a um bezerro proveniente de uma vaca que foi mal-nutrida”, conclui.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Disqus exige que voce se registre seu site. Voce pode fazer isso a partir de Registre-se
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp