23/04/2021 às 09h22min - Atualizada em 23/04/2021 às 09h22min

Mercado se aquece e preços do suíno vivo e da carne sobem chegando ao mesmo patamar de novembro de 2020

Em São Paulo o preço do suíno vivo chegou a R$ 8,53/kg nesta quinta-feira 22/04, em SC foi vendido a R$8,08/kg

Redação com assessoria
CEPEA/Esalq - Scot Consultoria - Suisite
-
Segundo pesquisadores do Cepea, as cotações do suíno vivo e da carne continuam em movimento de recuperação em todas as regiões acompanhadas pelo instituto, especialmente no Sudeste.

Com recentes altas, os preços do animal vivo em algumas praças voltaram aos patamares observados em novembro de 2020 e, no caso da carne, em janeiro/21.

A retomada do preço, segundo pesquisadores, se deve ao bom ritmo das exportações, aliada as fatores como temperaturas mais amenas, que favorecem o consumo de carne suína, a chegada do auxilio emergencial e a expectativa de flexibilização da quarentena  favoreceram as vendas internas da proteína.


A Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS), através de seu presidente, Valdomiro Ferreira, informou a imprensa que o valor do suíno vivo passou de R$ 8,27/kg vivo para R$ 8,53/kg vivo nesta quinta-feira 22/04.

Já em Minas Gerais, o preço baixou de R$ 8,20/kg vivo para R$ 8,00. A Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais, explicou que na semana passada não houve acordo entre frigoríficos e produtores, com o suinocultor pedindo R$ 8,40/kg e os frigoríficos, R$ 7,70.

O mercado de Santa Catarina registrou alta, saindo de R$ 7,74/kg vivo para R$ 8,08/kg vivo. E no Rio Grande do Sul, passou de R$ 6,81/kg vivo para R$ 7,39/kg vivo.


O presidente da Associação Catarinense de Criaadores de Suínos (ACCS), Losivanio de Lorenzi, afirmou que houve uma reação devido a procura maior, e os animais estão em peso normal, até um pouco mais leves, e não tem tanta oferta. O afrouxamento das medidas de restrição de circulação de alguns municípios também ajudou a melhorar o consumo", explicou.

CUSTOS DE PRODUÇÃO

 

O custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina subiu R$ 0,25 entre janeiro e fevereiro, passando de R$ 6,63 para R$ 6,88, segundo a Embrapa Suínos e Aves.

A alta de preço dos grãos é a responsável pela alta dos custos de produção na suinocultura, já que os custos alimentares correspondem a 80% dos custos totais de produção de suínos.

Se analisarmos apenas a situação do milho, em São Paulo e em regiões do Centro-Oeste, para se ter uma idéia entre 3 e 9 de abril, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (base Campinas-SP) apresentava um recuo 3,5%, e o milho fechava cotado a R$ 56,41/sc de 60 kg.

Um ano se passou e o preço do milho chegou a R$100 a saca de 60kg na quinta-feita, 22/04 em Campinas-SP, valores dos contratos para maio/21 na B3. 

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se você é produtor rural, qual a sua principal atividade agrícola?

11.3%
5.2%
8.5%
3.8%
8.5%
31.9%
6.6%
10.8%
3.8%
2.8%
4.2%
2.8%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp