21/01/2021 às 10h43min - Atualizada em 21/01/2021 às 10h43min

Alerta Ferrugem conquista produtores de soja do Paraná

Redação com assessoria
Iapar

-
Há três safras a Embrapa-Soja, Universidade Federal do Paraná (UTFPR) e Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater (IDR-Paraná) mantêm o Alerta Ferrugem, serviço que monitora e informa a ocorrência do esporo que causa a ferrugem asiática em lavouras de soja nas regiões produtoras do Estado. Nesta safra, o número de visualizações do serviço, na página do IDR-Paraná, chegou a 15 mil acessos.  O número é significativo e revela a importância do serviço para os produtores.

O Alerta Ferrugem fornece informações que ajudam o produtor  a decidir sobre a aplicação de fungicidas, operação que deve ser feita apenas quando há a conjugação de três fatores: lavouras no período de florescimento, presença de esporos na região e ambiente favorável para sua germinação nas plantas. A recomendação é que essa decisão seja sempre discutida com um técnico, evitando aplicações de fungicida sem necessidade. Para Edivan Possomai, coordenador estadual do projeto Grãos do IDR-Paraná, o aumento do número de acessos se deve, sobretudo, à divulgação do serviço nas redes sociais.

Ivanildo Tavares é produtor de soja, em Farol. Até pouco tempo atrás ele tocava sua lavoura como a maioria dos agricultores da região, seguindo a orientação de alguns agrônomos que recomendavam a aplicação "calendarizada" de defensivos. "Eu fazia uma aplicação com 45 dias. Depois de 15 ou 25 dias fazia uma outra. Nem sabia se tinha ferrugem na soja", contou o produtor. Há três anos ele vem sendo acompanhado pelos técnicos do IDR-Paraná e isso significou uma mudança na rotina de Ivanildo. Agora o produtor só aplica fungicidas quando tem algum foco da doença. Já se vão quase cem dias desde o plantio e ele só fez uma aplicação. "Em outros anos eu cheguei a fazer quatro aplicações. Na safra passada foram só duas. O Alerta Ferrugem está servindo muito bem porque eu estou passando o produto na hora certa. Só quando tem foco de ferrugem na região", afirmou o produtor.

Whatsapp

Em Chopinzinho Ilseu Pereti cultiva 48 hectares com soja. Ele também fica de olho nos dados do Sistema Alerta Ferrugem e confirma a redução das aplicações de fungicida depois que passou a monitorar a lavoura. "Antes eu fazia até quatro aplicações. Hoje, durante todo o ciclo da soja, faço uma ou duas, no máximo", observou. Ele disse que a instalação do coletor de esporos no município ajudou muito. "O equipamento serve de parâmetro para a gente usar o fungicida no momento certo", ressaltou.

Além de cuidar da própria lavoura, Ilseu é um multiplicador de informações. Há quatro anos ele criou um grupo no Whatsapp para informar outros agricultores sobre quando o defensivo deve ser aplicado ou não. O grupo já tem 82 participantes que recebem as dicas pelo celular. "Tem produtor que tem medo de não aplicar o fungicida. Ainda mais com o preço da soja em alta, mas a maioria segue as orientações. Às vezes até quem não está no grupo vem me pedir informação", revela o agricultor. Para Ilseu, o trabalho do sistema Alerta da Ferrugem é muito bem vindo. "Esse é o verdadeiro papel da assistência técnica, mostrar ao produtor quando ele deve usar o defensivo, sem qualquer desperdício ou gasto sem necessidade", concluiu.

Custos

Em Luiziana a extensionista Laura Helena Goulart Silva, também mantém um grupo de 47 produtores informados pelo Whattsapp. Como muitos desses agricultores têm pouca familiaridade com a internet, Laura já repassa a orientação "pronta", com a ocorrência ou não de esporos da ferrugem e as condições climáticas na região. Ela disse que o produtor sofre muita pressão dos revendedores de insumos para usar os defensivos. "Nós fazemos um trabalho de formiguinha, levando a ideia para os produtores de que nem sempre é preciso fazer a aplicação", destaca Laura. Segundo Laura, algumas vezes o agricultor tem em mente só o preço final da soja e, com medo de perder a produção, usa um defensivo sem necessidade.  No entanto, vale lembrar que uma aplicação de fungicida custa, em média, R$ 175,00 por hectare. Levando-se em conta que o monitoramento das lavouras pode reduzir o número de aplicações pela metade, ou menos, é uma economia bem vinda para o produtor. Com o Alerta Ferrugem e a orientação dos extensionistas do IDR-Paraná muitos agricultores estão vendo seus lucros com a soja aumentarem dia a dia.

Acesse

O serviço Alerta Ferrugem faz a instalação de coletores em propriedades rurais estrategicamente selecionadas em toda a região produtora no Estado. Equipamento simples, o coletor nada mais é que um suporte metálico enterrado no chão, sobre o qual é instalada uma peça de PVC que gira livremente de acordo com a direção do vento. Dentro do tubo é depositada uma lâmina de microscópio envolta em fita adesiva, que serve para reter os esporos do fungo que passam por ali. 

As lâminas são coletadas periodicamente e encaminhadas para análise em laboratório. Se confirmada a presença de esporos do fungo, essa informação é amplamente divulgada no site do serviço (link: http://www.geoemater.pr.gov.br/geoemater/ferrugem).

A partir desta safra o serviço estará disponível também no aplicativo IAPAR Clima, ferramenta que traz em tempo real as condições agrometeorológicas em todo o Paraná e vem a cada dia ganhando a preferência de técnicos e produtores. A ferramenta está disponível na (apps.apple.com/us/app/iapar-clima/id1486152398?l=pt&ls=1) e no e GooglePlay (play.google.com/store/apps/details?id=iapar.br.iaparclima).


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se você é produtor rural, qual a sua principal atividade agrícola?

10.7%
6.0%
7.7%
3.4%
8.1%
29.9%
6.4%
11.5%
4.7%
2.6%
6.0%
3.0%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp