02/12/2020 às 09h28min - Atualizada em 02/12/2020 às 09h28min

Milho: Com poucos negócios no mercado disponível entre produtores e tradings, as cotações fecharam em queda de 1,29%

Momento oportuno para o produtor travar os custos para a safra 2021/22 com menor uso de sacas para cada tonelada do fertilizante.

Redação com assessoria
IMEA MT
Safras mundiais impactadas: a relação de oferta e demanda do milho no mercado mundial encontrou um cenário contrário ao estimado inicialmente para a produção do cereal. A começar pelos EUA, o país passou por períodos climáticos conturbados durante o desenvolvimento do grão e teve a produtividade reduzida ao longo do ciclo 20/21.

A China, o segundo maior produtor e maior consumidor mundial de milho, passou por tufões que prejudicaram as lavouras e consequentemente a produção do país na safra 19/20. A Ucrânia, outro importante player no mercado do cereal, também tem sofrido com os impactos do clima e poderá ter a produção reduzida em 20,58% de acordo com as estimativas do USDA.

Assim, com todos estes fatores destacados, o departamento estima que a produção mundial seja reduzida em 14,18 milhões de toneladas em relação à última previsão, tendo a capacidade de produzir 1.144 bilhão de toneladas para um consumo de 1.149 bilhão de toneladas. 

• Com poucos negócios no mercado disponível entre produtores e tradings, as cotações para o Indicador Imea-MT fecharam em queda de 1,29% no comparativo semanal, ficando cotado a R$ 63,54/sc

• Já na CME o contrato corrente foi sustentado pelos maiores volumes de compras para exportação, e encerrou em alta de 0,46% em relação à semana passada, cotado a US$ 4,24/bu.

• O prêmio no porto de Santos fechou a semana com alta de 2,21% em comparação a semana passada, sendo cotado em US$ 0,92/bu.

• O indicador Cepea encerrou a semana em queda de 1,01% em relação à semana anterior. Assim, a saca do milho ficou cotada a R$ 79,62. 

RELAÇÃO FAVORÁVEL: a negociação de insumos iniciou mais cedo em 2020, especialmente pelos negócios atrativos com os fertilizantes que têm favorecido os produtores matogrossenses a realizar as operações de barter. Para se ter uma ideia, a garantia dos insumos para a temporada 2020/21 já alcançou 93% no último mês, valor 11 p.p. à frente ao visto na safra passada.

Outro ponto a destacar foi a comercialização antecipada de insumos para a safra 2021/22, que já chegou a 7% negociado, devido principalmente à atratividade da relação de troca entre o preço médio comercializado do cereal e o fertilizante 20-00-20 em 43,83sc/t, quantia inferior do mês anterior, que foi estimada em 49,47sc/t.

Deste modo, com a atual conjuntura de oferta e demanda aquecida em Mato Grosso, é percebido um momento oportuno para os produtores que procuram adquirir os insumos, a fim de travar os custos para a safra 2021/22 com menor uso de sacas para cada tonelada do fertilizante.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Disqus exige que voce se registre seu site. Voce pode fazer isso a partir de Registre-se
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp