01/12/2020 às 09h10min - Atualizada em 01/12/2020 às 09h10min

Mercado de bovinocultura apresentou a primeira semana de queda nos preços

O boi e a vaca gorda apresentaram decréscimo de 1,97% e 1,56% e ficaram cotados a R$ 260,22/@ e R$ 251,06/@, respectivamente

Redação com assessoria
IMEA MT
Menor diferença: Com a menor oferta de animais disponível para abate em todo o país, somada às exportações que seguem aquecidas, o diferencial de base MT-SP apresentou o quarto encurtamento consecutivo do ano e ficou na média de -7,90% no mês de outubro.

No comparativo mensal, esta diferença representa uma variação - 1,28 p.p., uma vez que em set.20 o indicador era de -9,17%. Já na relação com mesmo período do ano passado, a variação foi de -2,21 p.p. O principal motivo que levou ao estreitamento do diferencial foi a maior valorização da arroba do boi gordo a prazo na praça mato-grossense em relação à paulista.

Prova disso é que Mato Grosso apresentou um avanço de 8,00% em out.20, ficando na média de R$ 224,14/@, enquanto isso, São Paulo teve um acréscimo de 6,50% no mesmo período, fechando na média de R$ 265,07/@. Todo este cenário, inclusive, de maior valorização em MT, contribuiu para que o diferencial chegasse ao menor patamar visto desde out.17.


 Depois de várias semanas de variações semanais positivas, o mercado de bovinocultura apresentou a primeira semana de queda nos preços. O boi e a vaca gorda apresentaram decréscimo de 1,97% e 1,56% e ficaram cotados a R$ 260,22/@ e R$ 251,06/@, respectivamente.

• No mercado de reposição, apesar de poucas negociações, o bezerro de ano novamente teve alta. Assim, a média semanal ficou em R$ 2.460,54/cab., acréscimo de 3,10% ante a semana passada.

• Com as ofertas de preços menores, as escalas de abate permaneceram curtas, pois caíram 0,09 dia no comparativo semanal e ficaram na média dos 4,20 dias.

• No atacado, devido à pouca demanda no fim do mês, o equivalente físico (EF) apresentou queda. Sendo assim, o indicador ficou em R$ 242,11/@, decréscimo de -0,55%, em relação à semana passada. 

BOI/BEZERRO: as menores movimentações na arroba do boi gordo nos últimos dias de novembro fizeram com que a alta mensal fosse menos intensa do que a observada nas cotações dos animais de reposição, os quais não pisaram no freio quando o assunto foi valorização.

O bezerro de ano, por exemplo, ficou em R$ 2.400,43/cab., aumento mensal de 9,15% e de 67,89% no comparativo anual. Este movimento ainda foi justificado pela baixa oferta da categoria no estado. Já a arroba do boi gordo ficou cotada a R$ 261,22/@ à vista, alta de 7,49% ante a out.20.

Assim, apesar de ser um movimento significativo para a arroba, ainda foi em uma menor proporção do que a observada nos preços do bezerro de ano.

Com isso, a relação de troca boi/bezerro recuou em novembro, fechando em 1,85 cab./cab. Isso significa uma variação de -1,52% em relação ao mês anterior e -8,82% em relação a nov.19, visto que na época o indicador estava em 2,03 cab./cab. 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Disqus exige que voce se registre seu site. Voce pode fazer isso a partir de Registre-se
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp