06/10/2020 às 14h18min - Atualizada em 06/10/2020 às 14h18min

Leite: com a demanda interna sobrepondo a oferta, o preço do leite pago ao produtor em set.20 teve aumento de 10,74%

As elevadas temperaturas e falta de chuvas em set.20 foram responsáveis pela queda na captação de leite

Redação com assessoria
IMEA MT
-
Declínio: recentemente o IBGE divulgou os dados de captação de leite para o 2º trim.20. Nesse viés, foi possível observar que houve redução de 4,57% no volume captado se comparado com o mesmo período do ano passado.

E quais fatores têm corroborado para este recuo? Bom, primeiramente é importante destacar que parte desse cenário foi ocasionada pelas menores precipitações no ano, que diminuiu a produtividade das vacas em lactação. Em segundo, estão os custos com suplementação que foram elevados principalmente pelos insumos, como milho e farelo de soja, que seguiram com cotações recordes.

Assim, a margem dos produtores se estreitou e desmotivou parte deles a atuar no ramo. Além disso, uma parcela dessa queda na captação foi consequência do período pandêmico, que obrigou as indústrias a coletarem menores volumes de leite em virtude da demanda interna, que despencou nos primeiros meses. 

• Com a demanda interna sobrepondo a oferta, o preço do leite pago ao produtor em set.20, referente ao volume captado em ago.20, foi de R$ 1,67/l, aumento de 10,74% no comparativo mensal.

• Com as elevadas temperaturas e sem chuvas em set.20, o índice de captação novamente apresentou queda, mas dessa vez foi de 3,79% ante o mês anterior.

• Em sentido oposto com outros derivados, o preço do leite UHT no varejo apresentou queda de 6,25% e fechou o mês com cotação média de R$ 3,75/l.

• Em ago.20, a balança comercial retraiu 34,76% ante o mês anterior. Este cenário é decorrente do maior volume importado dos produtos lácteos e do recuo nas exportações para atender ao mercado interno, que segue com oferta restrita. 

BASE MENOR: o diferencial de base MT – CEPEA é um indicador que calcula a diferença do preço do leite pago ao produtor em Mato Grosso e na média Brasil. Conforme aponta o gráfico ao lado, a média história desse diferencial atualmente é de -17,28% e, em set.20 - referente ao volume captado em ago.20 - a variação apresentou alta de 0,91 p.p. ante o mês anterior, fixando em -21,60%. Isto porque, neste último mês, o preço do leite pago ao produtor no BR apresentou valorização de 5,56% ante a jul.20, enquanto em Mato Grosso a alta foi mais intensa, de 6,81%.

Esse estreitamento de preço em ambas as praças ocorre pelo segundo mês consecutivo, e trouxe este indicador para mais próximo da média histórica registrada. Diante disso, os fatores que têm corroborado para este cenário são, principalmente, a oferta mais escassa na região central devido ao período de entressafra e o menor investimento no ramo, enquanto a demanda interna segue mais aquecida neste momento.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se você é produtor rural, qual a sua principal atividade agrícola?

11.3%
5.2%
8.5%
3.8%
8.5%
31.9%
6.6%
10.8%
3.8%
2.8%
4.2%
2.8%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp